Assessorias de imprensa: será que elas lêem o que eu escrevo?

Faz tempo que quero escrever sobre assessorias de imprensa. Aprecio quem desempenha bem a tarefa importante de mediar a comunicação entre seus clientes e pessoas ou organizações.

Por exemplo: recebo e leio com atenção os releases com as novidades sobre o Facebook enviados pela CDN. Basta ler dois ou três posts deste blog para ver que o meu assunto desde sempre é "internet social". Apenas isso.

O problema com o serviço de algumas assessorias é a "margem de erro" temática. Considere, por exemplo, o último release que eu recebi: "HP inicia sua campanha de Natal com a segunda temporada do eNoel".

Não quero parecer ingrato, mas me dou ao direito de pensar alto: dá a impressão que quem enviou acha que tecnologia é tudo a mesma coisa.

Estão fingindo que se comunicam comigo e eu, fingindo também que não ligo. Porque quando isso acontece, sem (muita) dor na consciência, jogo a mensagem e o email da pessoa que o enviou para a pasta de spam.

Resultado: essas mensagens já não entrarão na minha caixa postal, nem quando o conteúdo for relevante. Eu perco, sim, a oportunidade futura de talvez ter uma notícia em primeira mão, mas em um ambiente saturado de informação, acho que os clientes das assessorias perdem mais.

Há ainda outro caso: de assessorias que escrevem antes pedindo informações sobre o blog.

Em geral, a pergunta recorrente é: quantas pessoas acessam o blog? Não vejo problema nisso, mas raramente sinto que a pessoa do outro lado se deu ao trabalho de ler o que eu escrevi.

Recebi esses dias uma mensagem de um assessor se apresentando e apresentando a assessoria. A mensagem é vaga, mas pedem a data do aniversário "dos editores" (só eu escrevo aqui) e se tenho filhos.

Fiquei pensando: o que eles farão no dia do meu aniversário? Me mandarão um brinde corporativo? E para que saber se eu tenho filhos? Será que há releases especiais para pais ou algo parecido?

Não, obrigado. Por favor, me mande releases relevantes. Eu não pedi para recebe-los, mas aprecio a atenção de quem se dá ao trabalho de fazer isso. Contanto que faça sentido.