Parte 1: um experimento de convívio

Volte ao artigo principal ou leia a íntegra da entrevista

Não é a primeira vez que escrevo sobre a Wikipédia. Ela não é um experimento perfeito, como o convívio em sociedade também não é, mas é surpreendente ver a complexidade da operação que faz surgir um produto com relevância inquestionável.

Quem fica fora geralmente não sabe, por exemplo, da existência de diversos tipos de funções exercidas pelos voluntários do projeto. Há reversores, eliminadores, administradores, burocratas, verificadores, entre outras. E para vários destes postos, não basta o usuário se oferecer para desempenhar o trabalho. A escolha acontece por participação direta.

Acompanhei uma candidatura a administrador e achei a experiência muito mais intensa e interessante do que a das eleições para os governos.

Usuários qualificados podem se candidatar, por exemplo, a ocuparem o posto de administradores. Uma página especial é criada para a ocasião e ela se torna o palco de uma arguição aberta à participação de toda a comunidade. É a hora para se fazer qualquer pergunta, que será respondida uma a uma até que todos estejam satisfeitos.

O candidato é principalmente questionado sobre suas ações dentro do site: por que defendeu a manutenção de determinado artigo? Por que teve uma conduta explosiva ao lidar com tal voluntário em relação a uma certa polêmica?

Só então acontece a votação que é feita de forma direta e aberta. E quem vota pode justificar sua posição: a favor, contra ou a abstenção. Para ser eleito, o usuário precisa ter a aprovação de 75% dos que votaram.