Outro caso de miopia corporativa

No ano passado, ao concluir a produção do livro Para Entender a Internet, pensei que, além de disponibilizá-lo em PDF, seria útil que ele tivesse uma página na Web com todos os textos. O conteúdo ficaria mais “encontrável” pelos mecanismos de busca e o internauta poderia ler alguns artigos antes de decidir se queria fazer o download (grátis) do PDF.
Eu poderia ter criado um wiki para o livro, mas optei pelo Blogger por conta da integração com o Google. Em resumo, usei o serviço de publicação para disponibilizar artigos registrados com licença Creative Commons de um livro gratuito. E não coloquei absolutamente nenhuma publicidade, nem banner, nem link comercial no meio do conteúdo.
No final do mês passado, recebi um email da “Equipe do Blogger” dizendo que eu deveria cadastrar essa página do Para Entender para uma revisão ou ela seria apagada. Não entendi o propósito da consulta - afinal, o site estava aberto e podia ser revisado independentmente da minha autorização -, mas, como argumentar com as corporações é tarefa ingrata, cliquei no link e dei o consentimento.
Acabo de receber um email me comunicando que a página onde estava o Para Entender foi tirada do ar porque foi considerada spam.
Spam?! 
Entendo que não se tratava de um blog convencional na medida em que ele tinha conteúdo fixo, estático, fora as mensagens deixadas na área de comentários. Agora, justificar a suspensão do blog por spam (“mensagem comercial não-solicitada”) é uma declaração de incompetência.
Nem uma linha de tudo o que estava naquelas páginas vendia ou promovia serviço ou mercadoria de qualquer espécie. Era um livro grátis com artigos sobre internet e cultura digital. Só isso.
Fico tentando entender o que aconteceu, mas não posso me comunicar com eles. A mensagem - leia abaixo - não traz um link para o caso de o “acusado” querer se defender. A mensagem em si também não dá margem para isso.
Será que o Blogger/Google fez uma revisão mecânica com robôs e o sistema “deduziu” que, pelo conteúdo ser estático e pela quantidade de links para download, havia grande probabilidade de se tratar de spam. Mas ninguém revisou? Nenhuma linha foi lida para tirar a prova? E por que não existe canal para o usuário entrar em contato? 
Me senti como se estivesse em um Estado totalitário. Sentença sumária, tomada por não se sabe quem, sem direito a apelação e, pior de tudo, sem nenhum motivo. Apenas o velho bordão: “Ordens são ordens.”
Enfim, essa é a história e quem quiser comprovar, pode abrir o cache da página para ver como ela existiu, depois tentar abrir o endereço http://paraentenderainternet.blogspot.com/ para comprovar que ela está fora do ar e finalmente ler a seguir a notificação da sentença:
date Fri, May 28, 2010 at 5:11 AM subject http://paraentenderainternet.blogspot.com/ foi excluído signed-by google.com hide details 5:11 AM (3 hours ago)
Olá, Seu blog em http://paraentenderainternet.blogspot.com/ foi analisado e confirmado para violação dos nossos Termos de Serviço relacionados a: SPAM.
De acordo com esses termos, removemos o blog e o URL não está mais acessível.
Para obter mais informações, consulte os seguintes recursos:
Termos de Serviço do Blogger: http://blogger.com/terms.g
Política de Conteúdo do Blogger: http://blogger.com/content.g
-A Equipe do Blogger

Comentários



Receita para a atualização do sistema operacional do Nokia

O N97 é um aparelho bacana para se produzir conteúdo (audio, foto, video) e também para se acessar e utilizar os recursos da internet. Ao mesmo tempo, ele exige um grau de destreza para faze-lo funcionar da melhor maneira possível. Isso inclui, entre outras coisas, saber atualizar o sistema operacional do telefone.
É possível que estar usando a versao antiga do sistema operacional fosse o motivo para o celular estar dando pau continuamente. Ele estava travando em situações chatas. Uma vez, gravei uma entrevista em video de vários minutos que desapareceu. Isso abala a confiança no aparelho.
Enfim, um amigo - Luiz Paulo Rosa - teve o cuidado de me mandar uma receita passo a passo para checar a versao do sistema operacional e depois para atualiza-lo. Segui as indicações e a atualização aconteceu sem problemas. Fica, então, a receita para quem mais estiver tendo problemas. Pelo que eu entendi, ela vale para qualquer smartphone Nokia.
Confira se voce precisa fazer a atualização: Digite *#0000# e verifique a versão do seu firmware. Qualquer coisa menor que 21.0.045 indica que você deve atualizar. Como o seu telefone não veio de operadora, é muito provável que você receba o FW mais atual.
Ingredientes:1 Nokia Software Updater ( http://www.nokia.co.uk/support/download-software/device-software-update )1 computador com Windows (Vista ou XP, melhor se for XP)1 N971 dose e 1/2 de paciência1/2 dose de sorte
Caso não tenha a sorte, é recomendado usar uma conta Ovi (http://www.ovi.com )Preparo- Com a conta Ovi, faça uma sincronização de contatos, agenda, notes e tudo mais que estiver disponível (lembre de sincronizar também o Ovi Maps para não perder seus Landmarks)Não use o Backup do PC Suite! Se quiser salvar alguma coisa use a conta Ovi.- Carregue totalmente a bateria do telefone- Instale o Nokia Software Updater (NSU)- Retire o telefone da tomada- Mude o perfil para “Normal” e mude para um tema padrão (um dos que vieram com o telefone)- Desabilite qualquer widget online da sua home screen- Inicie o NSU no computador - Conecte o telefone e siga as instruções na tela. Não mexa no telefone até o NSU te autorizar! O telefone vai sofrer alguns desmaios durante o processo, é normal. O N97, assim como o meu 5800 tem o que a Nokia chama de UDP (User Data Preservation). Isso quer dizer que ao atualizar ele não vai formatar o telefone e desinstalar tudo que você tem, como acontecia no N95.Outra alternativa, para quem tem coração forte, é atualizar OTA (Over the Air). Eu atualizei o meu 5800 assim e deu certo de primeira, mas é fato que o 5800 é muito mais estável que o N97.
Se você optar por essa receita, pule o terceiro passo do preparo e no quarto passo escolha no telefone a opção “Check for updates” e siga as instruções no telefone.É isso. 

Comentários



Uma Antropologia do Ciberespaço e no Ciberespaço

Uma Antropologia do Ciberespaço e no Ciberespaço: Coordenadoras: ELIANE TÂNIA FREITAS (UFRN) e LAURA GRAZIELA GOMES (UFF) O grupo de trabalho se propõe a refletir e discutir, em dois planos distintos, os aspectos e experiências do ciberespaço e no ciberespaço. No primeiro plano (do ciberespaço) os aspectos operacionais, tecnológicos e cognitivos presentes no consumo das diferentes plataformas online. Por que tantas pessoas têm Orkut? Ou um blog? O que leva as pessoas a investirem mais em algumas plataformas do que em outras? Necessidade, acessibilidade, usabilidade ou moda? No segundo plano (no ciberespaço), discutir fenômenos como as interações sociais que cada uma dessas plataformas promovem, suas possibilidades, limites, efeitos sociais. O que seria valorizado, enfatizado em cada uma? Assim, nosso GT se inscreve no campo de discussões especificamente voltado para uma antropologia do Ciberespaço, da Cibercultura e do Consumo de Tecnologias Digitais no mundo contemporâneo. Daremos especial ênfase a reflexões originadas de estudos etnográficos, inclusive com a necessária problematização da prática de trabalho de campo online e da experiência etnográfica nela implicada. Tratar-se-ia de uma experiência singular, frente a outras etnografias, realizadas offline? Em que medida e em quais aspectos? Assim, esperamos que o espaço do GT seja também um espaço para discussões metodológicas no campo da nossa disciplina.
Reunião Brasileira de Antropologia (27a RBA)1 a 4 de agosto de 2010, Belém – PA
*As inscrições de resumos para os GTs ainda não estão abertas e serão realizadas diretamente no site da ABA - http://www.abant.org.br

Comentários



Relação de empresas e veículos de notícia brasileiros no Twitter

Ontem pedi ajuda pelo Twitter para encontrar listas de veículos de comunicação no Brasil e, ao contrário disso, recebi várias respostas de pessoas pedindo para eu repassar essa lista caso eu a conseguisse.

Juntei algumas contribuições que chegaram, pesquisei alguns nomes mais óbvios e estou compartilhando aqui sabendo que o resultado ainda está incompleto, principalmente por a lista reunir mais veículos do eixo Rio-SP.

Quem souber de outros perfis que não estejam listados, por favor, informe pela área de comentários para eu ir atualizando a página. Não incluí nomes de indivíduos, que são muitos, apenas de empresas, veículos ou programas especificamente de notícias. Agradeço antecipadamente.

NACIONAIS
TELEVISÃO
bandjornalismo
tvbandnews
SBTonline
tvsbt
jornaldosbt
tvrecord
record_imprensa
redetvi
Noticias_MTV
rede_globo
jhoje
showdavida
http://twitter.com/globonoticias

REVISTAS
RevistaEpoca
revistaepocasp
epocanegocios
Veja
http://twitter.com/RevistaISTOE
http://twitter.com/portal_exame
http://twitter.com/cartacapital

RÁDIO
http://twitter.com/jornaldacbn

ONLINE
meio_e_mensagem
bluebusbr
ultimosegundo
portalterra
G1
uol_noticias
portalUOL
portalr7
idgnow
observatorio
http://twitter.com/iG
http://twitter.com/YahooNoticias
http://twitter.com/UOLNoticias
http://twitter.com/uol_noticias
terranoticiasbr
terraaovivo
terraorbitabr
terratvbrasil

INTERNACIONAIS EM PORTUGUES
reutersbr
http://twitter.com/dw_portuguese
http://twitter.com/WSJPortugues
bbcbrasil

REGIONAL - SUDESTE

TELEVISAO
@redeminas - minas
tvcultura
rodaviva

JORNAIS
jornaloglobo
estadao
folhadesp
valor_economico
Braziliense
http://twitter.com/correiodobrasil
http://twitter.com/jbonline
atribunasantos
@portaluai - minas
@otempoonline - minas
@jornalotempo - minas
@jornalhojeemdia - minas
@dcomercio1 - sao paulo

Os veículos do grupo O Dia do Rio de Janeiro
Jornal O Dia - @jornalodia
Meia Hora - @meiahora
Jornal Campeão - @jornalcampeao
Rádio FM O Dia - @radiofmodia

RADIOS
cbnrio
radioculturabr

REGIONAIS - NORTE
@oliberal
@diariodopara,
bomdiaam
portalamazonia
amazonasemtempo
am_noticias
amazonia_hoje
amazoniawebtv
jornalam
jornal_acritica

REGIONAIS - SUL
anonline
http://twitter.com/correio_dopovo
http://twitter.com/RdGaucha
zerohora

REGIONAIS - NORDESTE
opovoonline
alagoas - http://twitter.com/gazetaweb

Pernambuco
@jc_online
@pepontocom
@folhape

Sergipe

PORTAIS
Infonet @portal_infonet
Ne Notícias @nenoticias
Emsergipe.com - @emsergipe

JORNAIS
Correio de Sergipe @correiodesergip
Jornal da Cidade - @portaljc

AGÊNCIAS
Agência Voz - @agenciavoz
Agência Unicom - @agenciaunicom

Ceará
http://twitter.com/diarioonline
http://twitter.com/oestadoce
http://twitter.com/tvverdesmares
http://twitter.com/TVCIDADEFORTALE
http://twitter.com/tvjangadeiroSBT
http://twitter.com/tvassembleiace

REGIONAIS - CENTRO OESTE
Jornal
@jornal_opopular - GO
@diario_da_manha - GO
@jornaloreporter - GO
@jornalestado - GO
@tvca - MT
@maismt - MT

TV
@tvserradourada - GO
@tvanhanguerago - GO
@esportetotalgo - GO

Rádio
@interativafm - GO
@cbngoiania - GO
@radio640am - GO
cbnbrasilia

OnLine
@portalgoiasnet - GO

Governo
@goiasagora - GO

APANHADOS
http://www.band.com.br/twitter/
http://twitter.uol.com.br/
http://oglobo.globo.com/globotwitter/
http://opovo.uol.com.br/twitter/
http://www.estadao.com.br/twitter/
http://cbn.globoradio.globo.com/twitter/index.htm
http://twitter.com/tvcultura/following
http://twitter.com/folhadesp/following
http://twitter.com/RevistaEpoca/epoca/members
http://twitter.com/rede_globo/following
http://twitter.com/estadao/following

NAO USADO
oGloboredetvoficial
Rede_Gazeta
radioeldorado

Comentários



A Internet é grátis, mas a mensagem não tem preço; sobre o encontro entre o professor Lawrence Lessig e a senadora Marina Silva

Por fazer parte da equipe de comunicação da senadora Marina Silva, tenho escutado muita gente se perguntado se ela conseguirá enfrentar uma disputa com pré-candidatos com muito mais tempo de TV.

Ela responde que investirá nas mídias sociais e na internet, mas como sabe que os outros farão o mesmo, diz que aposta no poder de suas mensagens despertarem a paixão.

Hoje a senadora visitou a Campus Party. Depois de passar pelo "batismo digital", foi conversar rapidamente com o professor e jurista Lawrence Lessig -- internacionalmente conhecido pela criação e defesa do Creative Commons.

Por falta de alguém melhor capacitado, eu ocupei a função de tradutor de uma conversa rápida e superficial, que deve ter durado uns cinco minutos, se tanto, e tinha apenas o objetivo de plantar a semente para novos diálogos.

Depois que o encontro terminou, fui me despedir do professor Lessig e ele me pediu para dizer uma última coisa para a senadora: que eles dois tinham lutas irmãs, a dela para que a floresta seja um bem de todos e a dele, para que o mesmo aconteça com a cultura.

Mais tarde, por email, ele me mandou um link explicando mais precisamente o que é o "ambientalismo cultural" ao qual ele se referia: http://lessig.blip.tv/file/1940325/. E acrescentou: "Boa sorte. Como eu disse, ela é uma inspiração para o mundo inteiro."

E aí está um pequeno exemplo disso que a senadora vem falando. Todos os que participarão da campanha presidencial terão a internet, inclusive porque é uma plataforma de acesso gratúito, mas a mensagem que apaixona é algo mais complexo de se conseguir.

À noite, depois de sua palestra na Campus Party, o professor Lessig registrou o encontro pelo Twitter:

Ele escreveu: "Marina Silva faz a história de Obama parecer fácil. Cresceu na floresta, aprendeu a ler aos 16." E completou: "os programadores da Campus Party podem fazer da campanha dela uma realidade."

Isso é despertar a paixão, é ter alguém desse calibre de importância oferecendo publica e espontaneamente o seu prestígio por sentir-se comovido pela mensagem.

Comentários



Ano novo, novos rumos

A primeira pessoa que me fez reparar na então ministra Marina Silva foi a minha tia Márcia, geógrafa, doutora em educação indígena, que, na época, estava trabalhando no Ministério do Meio Ambiente. Meu tio Paulo, agrônomo, com seu jeito reservado, também falou da Marina com admiração especial.

Tenho pensado muito neles nesses últimos dias, desde a semana passada, quando fui convidado e aceitei o desafio de participar da equipe de comunicação de acompanhará a senadora de agora até o final da campanha presidencial em setembro ou outubro deste ano.

Estou muito contente pela oportunidade de me integrar a uma equipe diferenciada para atuar usando as mídias sociais para um projeto em que eu acredito.

O cenário é promissor. Será a primeira eleição no Brasil em que a lei eleitoral não inibirá (tanto) o uso da internet nas campanhas. Some a isso o fato quase 60 milhões de brasileiros estarem usando a rede e de existirem mais de 150 milhões de celulares ativos no país. Isso significa que as fórmulas antigas de campanha já não são receitas infalíveis de sucesso.

Eu poderia falar de muitas formas, apresentando detalhes e recorrendo a jargões, sobre a nossa proposta para a utilização de ferramentas de mídia social, mas ela se resume a dois elementos: escancarar os canais para escutar a sociedade e, junto com isso, ajudar as pessoas que quiserem participar voluntariamente deste esforço.

É simples falar assim e é relativamente simples de se fazer algo assim, mas nem todo mundo quer se dar ao trabalho ou quer correr o risco de abrir um canal sobre o qual não se tem controle. No nosso caso, isso não é uma opção nem um problema, é a nossa principal força.

Do outro lado do ringue está a TV, historicamente a principal forma para se chegar ao eleitor. Ela é muito poderosa por sua abrangência no Brasil, mas tem uma limitaçao em relação às novas mídias. Enquanto a TV é boa para reunir pessoas com interesses comuns, a Internet, além de também servir para formar grupos, ainda reduz radicalmente as barreiras para eles se relacionarem.

A visão de que o consumidor (e eleitor) é preguiçoso -- não quer se envolver, não se interessa por política e prefere ficar em casa controlando a TV da poltrona -- perde força na medida em que se abre a perspectiva de compartilhamento do controle.

Permitir que as pessoas participem, não da maneira como você quer, mas aceitando escutar e conversar, é o segredo mais difundido das campanhas de sucesso na Internet. E é assim que pretendemos usá-la.

Comentários



Desconectado

2009 foi um ano de muitas realizações. Teve a produção e o lançamento do Para Entender a Internet, a criação e gestão do projeto Adote um Parágrafo, a concepção e a execução da série Talk Show, a redação e lançamento do guia Tudo o que Você Precisa Saber sobre Twitter, além da participação como palestrante em uma série de eventos como Intercon 2009, Painel Biblioteconomia em Santa Catarina, Fórum de Comunicação do Nordeste e Vivo Twittando.

Apesar do resultado positivo, termino o ano literalmente esfolado por dentro, com uma dependência que deve ser química da adrenalina do trabalho, da ansiedade de não poder deixar de fazer muito mais do que cabe nas horas do dia e da semana.

Em função desse desejo insano de ocupar todos os espaços, deglutir todas as oportunidades, produzir e ainda saciar o intelecto, abri mão de cuidar do corpo e também de conviver com as pessoas apenas pelo prazer de estar com elas.

Não investi em amizades promissoras e não cuidei das antigas. Engordei -- na verdade, inchei -- e a minha dor nas costas hoje me faz pensar como vai ser a minha vida daqui a 20 anos. Tudo pela fome voraz de realizar.

Por ter constatado que uma parte dessa voracidade é auto-alimentada, que o estado conduz à perpetuação do estado, estou me desconectado integralmente pelas próximas duas semanas.

Não deixa de ser um esforço de desintoxicação. Eu realmente adoro o que eu faço, mas às vezes sinto que essa sensação de voracidade ocupa o vazio de outras coisas, é um jeito de não me dar tempo de sentir e estar presente.

Então, deixo aqui um abraço a quem acompanha este blog, desejando que 2010 traga para a humanidade mais realizações íntimas, capacidade de auto-obsevação, experiências verdadeiras de amizade e abnegação e chances para se amar na prática.

PS. Para quem procura uma companhia de bolso para passar o fim de ano, recomendo este livro ao mesmo tempo doce e surpreendente.

Comentários



Bibliografia em inglês sobre Internet e cultura digital

Fonte:List of resources on the Social Web

History of the Internet

Critical approaches to the Internet

Internet possibilities:

Theory and background

Digital generation

Social behaviour

Popular culture

Social networks

Blogs

User-generated content

Trust, privacy and ethics

Searching, finding and collective intelligence

Impact on news, journalism and print

Business, marketing and innovation

Politics

Health

User guides

Software

ARTICLES

Social media

Web 2.0

OTHER RESOURCES

Comentários



Associar RSS e Twitter facilita a leitura de feeds e pode ajudar outras pessoas

Eu não gosto de RSS. Eu tendo a querer assinar conteúdo demais e depois fico angustiado por não dar conta de ler tudo. O Twitter é mais legal porque é dinâmico, se você não pode dar atenção às mensagens novas, esquece e volta depois. Pensei, então, numa solução para casar o aspecto positivo dos dois serviços de maneira que eu pudesse ler o RSS pelo Twitter.

A idéia é simples: pegar os feeds que me interessam e retransmití-los para o Twitter. As vantagens são: concentrar a leitura em uma plataforma, não ter a sensação de que o conteúdo esteja se acumulando e poder disponibilizar esse conteúdo específico para outras pessoas que se interessem pelo mesmo assunto.

O primeiro passo foi criar uma conta nova no Twitter. Você pode também direcionar o feed para a mesma conta, mas preferi manter a minha conta como um espaço pessoal. Isso ajuda também a quem quer o conteúdo específico, mas não quer todas as outras mensagens.

Meu interesse era reunir conteúdo publicado de estudos sobre Internet feitos pela perspectiva da antropologia. Ao invés de usar todo o conteúdo, usei o FeedRinse para filtrar tudo o que não fosse sobre o assunto de interesse. Em seguida, usei o link do feed filtrado em um serviço chamado RSS2Twitter para publicar o conteúdo que chegasse na nova conta do Twitter.

Finalmente, passei a seguir essa conta como se fosse outra pessoa, podendo desfrutar do conteúdo que ela publica, sem acessar o RSS e também sem me preocupar em ler cada item. E a conta também fica disponível para quem se interessar pelo mesmo recorte de assunto.

A mesma solução pode servir, por exemplo, para se filtrar determinado tipo de conteúdo do próprio Twitter. O mashup acima teria como fonte o < a href="http://search.twitter.com/advanced">modo avançado da ferramenta de busca do Twitter para selecionar determinados conteúdos como: 1) todas as mensagens, 2) dos usuários A, B e C; 3) que contenham links; e 4) que contenham as termos relacionados.

Essa seria uma maneira, por exemplo, de criar listas de usuários e receber conteúdo sobre o que várias pessoas escrevem sobre determinados assuntos -- ao invés de ter que ler tudo o que elas escrevem sobre tudo para ficar sabendo apenas de questões pontuais.

Espero que isso possa ser útil para alguém. Comentários sobre como soluções relacionadas a essa são bem-vindos.

Comentários



Uma introdução (à introdução) antropológica ao YouTube

Recomendo enfaticamente que você assista o vídeo acima. Sim, são 55 minutos e está em inglês, mas você não vai se arrepender de ter "desperdiçado" esse tempo.

O vídeo apresenta uma pesquisa feita por uma turma de estudantes para um curso de antropologia. E esse é o primeiro ponto a ser ressaltado. O produto gerado não foi feito pela BBC e nem por outra mega-organização de mídia. Ele é uma criação que pode ser classificada de "caseira", algo que pode ser feito usando um laptop.

O atrativo deste vídeo não é a tecnologia ou a infraestrutura usada para produzi-lo, mas insights, criatividade e colaboração. Outro elemento importante: a presença de um orientador para estimular a participação do grupo e depois juntar os pedaços para chegar ao resultado.

Como você vai ver ao assistir o vídeo, a apresentação do projeto inclui a história do projeto: de onde veio a motivação para dar início à pesquisa e quem são as pessoas envolvidas no projeto. A descoberta é mostrada como o percurso para se chegar a cada insight, e não só o resultado em si, a conclusão.

Mais um aspecto que se destaca: o fato do grupo de pesquisa se envolver com o assunto, sair da posição de observador e se engajar, vivenciar o assunto que está sendo estudado.

É uma pesquisa sobre como estamos usando o YouTube para nos comunicarmos e sobre como isso afeta e modifica a nossa cultura. E os pesquisadores do grupo, mais do que ver de fora, passaram a produzir vídeos caseiros para experimentar a sensação de operar o equipamento e se expor.

Dessa forma, eles passam a conversar com a comunidade, a interagir com ela. E o mais bacana, o resultado da pesquisa em si não é um documento em papel escrito em linguagem acadêmica. Aliás, pode até ser isso, mas não é só isso, é também o vídeo acima, que é devolvido à comunidade via o próprio YouTube, como uma forma de retribuição, para que ela se veja e aprenda com aquilo que ela mesma ajudou a fazer.

Acho que esse é o vídeo mais bacana / inteligente / relevante / bem acabado que eu vi este ano sobre a Internet. Confira.

Comentários



Syndicate content