Por que Nescau 2.0?

Nova embalagemSerá que os criadores do novo Nescau se inspiraram no termo Web 2.0? Pesquisei rapidamente na rede e não encontrei menção a uma campanha que envolva internet e colaboração. Isso vai ao encontro do que dizem os críticos do termo: 2.0 é um sinônimo vago de inovação. Serve para gerar buzz, não para promover os valores relacionados ao open.

PS. não estou linkando para o verbete em português porque ele está desatualizado, fala apenas de software, não diz que "Open source is a set of principles and practices that promote access to the design and production of goods and knowledge".




Biografia televisiva na minha Sessão YouTube

Antes da sessão, cerveja, pão de queijo e conversa. Cazé é um host atencioso e tranquilo. Todos conversam com todos. Na hora marcada, esperamos mais um pouco. Twittadas regressivas até o início às 21h.

Fiz uma seleção intuitiva a partir da primeira imagem televisiva registrada na minha memória. A partir dela, outras lembranças apareceram.




MInha Sessão YouTube no Espaço Gafanhoto, nesta segunda

É uma entrevista? É uma palestra? É um debate? Não, é a Sessão YouTube realizada quinzenalmente no Espaço Gafanhoto pelo apresentador Cazé Peçanha. Nesta segunda, dia 5, às 20h, vou apresentar minha seleção de vídeos curtos garimpados do YouTube para embalar uma conversa de muitos com muitos, sem lenço sem documento, e relembrar algumas histórias e experiências trabalhando com comunidades e colaboração online. A ocasião é oportuna ainda para se encontrar, conhecer e trocar idéias com pessoas com interesses afins.

O Espaço Gafanhoto fica na Avenida Rebouças, quase esquina com a Faria Lima, em São Paulo.

É isso. Cola-lá.




Via sacra para conseguir o Conectado

Segue a mensagem (muito simpática) de um leitor de Brasília com dificuldades para encontrar o Conectado. Quem mais estiver enfrentando problemas parecidos, pode me mandar um email - juliano em naozero.com.br -, dizendo onde mora, e eu checo com a Zahar as livrarias da cidade que compraram o livro.

Foi uma verdadeira via-sacra para conseguir o teu livro. Quando tomei conhecimento do lançamento, no blog do Alexandre Mathias, havia indicação das Livrarias Saraiva e Siciliano. Cliquei na Siciliano e fiz meu pedido. Putz! Aguardei ansiosamente por mais de um mês e nada! Desconfiado, peguei o telefone, liguei pros caras e eles tiveram a coragem de informar que não havia disponibilidade. Tudo bem, aguardarei, pensava. Visitei o Submarino e prá minha surpresa, o livro tava lá! Nem pensei duas vezes, fiz outro pedido. Passados uns dias foi ver o "status" do pedido e uma nova surpresa: "aguardando reposição do fornecedor"... Aí, tomei a última e acertada decisão: liguei prá Zahar e contei a história... Nem conheço o Zahar, mas a voz parecia do dono. Enfim, me forneceram o nome do distribuidor aqui em Brasília (Arco-Íris, 502 Sul) e então, finalmente, o livro caiu em minha rede (não poderia deixar de citar mestre Caymmi). Fiz uma leitura lexical e agora vou partir praquela definitiva. Como diria em meu tempo: "já me amarrei...".




Pirataria off-line segue modelo de organização descentralizada

Esses dias estive na Santa Efigência - para quem não conhece, é a rua de São Paulo onde se concentram os vendedores de equipamentos eletrônicos - mapa aqui. Um verdadeiro bazar caótico, local das barganhas e também dos produtos contrabandeados ou roubados. (Muitos dos comerciantes têm presença na Web.)

Em um dia típico, no horário comercial, muitos ambulantes ocupam as calçadas. É difícil passar. Muitos estímulos, luzes que piscam, chamados, quer programa? quer jogos? A rua estreita geralmente ocupada de carros e pessoas cruzando, o trânsito flui devagar.

Esses dias passei por lá e tive a oportunidade de conversar com um dos jovens que vende programas piratas na rua.




MetaBarCamp na quinta, em algum lugar

Nesta quinta, à noite, marcamos um mini-BarCamp para discutir BarCamp - um meta-BarCamp. Veja alguns temas propostos abaixo. Ainda não definimos o local. Alguém falou do novo StarBucks da Paulista. Para participar, entre na página do evento no site BarCamp Brasil. Se você já tiver registro, é só logar e confirmar a presença.

Temas propostos:

Como facilitar o processo de criação de barCamps pelo país usando a internet?

BarCamp e BlogCamp são a mesma coisa ou coisas diferentes?

Como fortalecer a aplicação da metodologia de funcionamento que define o BarCamp - utilização da lousa para proposição de temas e organização do cronograma do evento?




Comunicação 2.0 para profissionais 1.0 - hoje no Mackenzie

Logo mais, às 14h, estarei na Universidade Mackenzie em SP, participando do Encontro de Comunicações e Letras. Eu pretendia falar sobre o novo profissional de mídia, um tema que tenho explorado com frequência neste blog - aqui, aqui e aqui. Mas ontem terminei de preparar uma apresentação chamada Internet em 3 cliques (ou Três Cliques sobre Internet, ainda não decidi qual será o nome), uma introdução à mídia social online para quem vê a comunicação da perspectiva do broadcasting.

Estes serão os temas explorados na apresentação:

* Qual é a diferença da internet em relação às mídias tradicionais.
* Como um bilhão de pessoas conseguem conversar usando o mesmo canal.
* Por que as pessoas oferecem de graça pela internet aquilo que elas vendem (caro) off-line.

Depois conto como foi.




Sempre critiquei a Telefônica, mas estou quase contratando o Speedy

Outro dia alguém mandou mandou pelo Twitter uma série de mensagem narrando sua "saga" conversando com o serviço de atendimento ao cliente da Telefônica. A primeira nota que eu me lembro anunciava que ele teria que pagar 300 e tantos reais para cancelar a assinatura. Deve ter protestado e pedido esclarecimentos. Tempos depois postou que continuava ouvindo a musiquinha de "espere na linha". Fui almoçar, voltei, e ele insistia na esgrima com os funcionários, talvez já não só pelo dinheiro, mas por birra.

Estou relatando isso porque no ano passado celebrei meu desligamento completo dos serviços da Telefônica. Já não tinha Speedy, e aproveitei a promoção de lançamento da Net para incluir no pacote o telefone por cabo. Mas passado um ano - não sei direito quanto - estou considerando seriamente fazer o caminho oposto, cancelar tudo da Net e dar mais uma chance para a Telefônica. Fiquei louco? Vejamos.




Por motivos acima do nosso controle...

Este blog ficou fora do ar nos últimos dois dias. Hackers descobriram uma brecha no Drupal e produziram uma onda de spam nos sites administrados por esse aplicativo. Eu mesmo tive que apagar várias dezenas de comentários publicados automaticamente com mensagens levando a sites pornô. O conserto teria sido rápido, mas o falta de banda, de rede e o corre-corre foram atrasando a restauração do acesso. Agora as coisas voltaram ao normal.




O perfil do novo jornalista na Web - um relato de caso

André Passamani, 34 anos, um dos diretores da Colmeia, se formou e começou atuando como jornalista em Vitória, ES. Esses dias, trocávamos idéias sobre o perfil do profissional que está fazendo a internet hoje e ele se lembrou de uma experiência. Fiquei com ela na memória e esses dias pedi autorização a ele para registrar o caso.




Syndicate content