Blogueiro desestabiliza mídia local em Tocantins

O caderno Link de ontem contou a história de um jornalista do interior de São Paulo que está criando um pequeno império de notícias no estado de Tocantins. Ele começou fazendo um blog contando os bastidores da política local.

Sua receita de sucesso: tirar proveito da instantaneidade para bater a mídia tradicional e oferecer um serviço independente. Começou em 2005, logo conquistou audiência, o dinheiro entrou com anúncios. Contratou uma equipe de jornalistas e planeja lançar um canal de TV pela Web e ter correspondentes nas principais cidades do estado.




Conectado segue mais vendido e destoa da lista

Conectado aparece mais uma semana emcabeçando a lista de mais vendidos entre os títulos de Informática da Livraria Cultura. É curioso ver os outros que aparecem relacionados: textos técnicos escritos por e para especialistas. Conectado destoa: escrito por um historiador, voltado ao leitor não-especialista.

Esta é a sequência de títulos da lista da Cultura: Microsoft Office Excel 2007 Passo A Passo, Informatica Para Concursos, Java - Como Programar, Segurança de Redes em Ambientes Cooperativos, Flash CS3 Professional - Criando Alem da Animaçao, Autodesk 3DS Max 8, Engenharia de Software, Escrevendo Casos de Uso Eficazes e Adobe Photoshop - Para Fotografos V.01.




Educação sem escola - um site inglês quer unir mestres e pupilos

Recebi do André o link de um projeto recém lançado (ainda está em alfa) chamado School of Everything.

Não seria errado descrevê-lo como um classificado para professores autônomos. Você entra no site e vê quais profissionais estão à disposição perto da sua casa ou do seu trabalho. Desisntitucionaliza a educação colocando em contato direto quem ensina e quem quer aprender.

Mas a idéia vai além do anúncio de trabalho remunerado. Aposentados e pessoas motivadas por outras formas de remuneração - como conhecer gente, fazer trabalho voluntário ou promover uma idéia - poderão oferecer seus serviços.

Nesse sentido, pareceu uma solução tecnológica muito interessante para fazer funcionar a idéia do coletivo que registrei na semana passada.




Um exemplo de vídeo simples e relevante

Curta simples. A câmera está no fundo de um presídio em Curitiba. Aparece na grade do lado de fora uma mulher e sua filha de uns quatro / cinco anos. E começa um diálogo à distância, muito curto e carinhoso, com um homem preso, que no contexto é o pai da criança. No final dos dois minutos de interação, os créditos revelam que ele está há 12 anos esperando julgamento.

Abra o artigo para assistir.




Quem se interessa por participar de um coletivo para atividades educativas?

Esses dias surgiu a oportunidade de propor a realização de uma série de workshops sobre como criar e manter blogs. Será no Espaço Caixa no Conjunto Nacional durante o Corredor Literário na Paulista. Vai ser um evento bacana, útil, para se promover a utilização dessa ferramenta. E por conta disso, pensei na possibilidade de criar uma espécie de coletivo de blogueiros e interneteiros em geral para situações como educativas.




Empresas (finalmente) começam a prestar atenção (seriamente) na Internet

Acabo de responder a um questionário para uma pesquisa sobre a influência da internet na comunicação. Por um lado me deu medo de ver a Web sendo seriamente investigada para atender a motivações do mundo empresarial. Mas também acho saudável que exista essa consciência de que a comunicação na esfera pública já não é domínio de organizações.

Veja o que me perguntaram e o que eu respondi. E aproveite para comentar, discordar e opinar.




Coisas que acontecem quando você publica um livro

Há dois dias recebi uma mensagem da editora. Uma pessoa - aparentemente um senhor de mais idade - tinha ligado para pedir meu telefone... Eu não soube o que pensar na hora. Dar o meu telefone assim? Quem era essa pessoa que não podia me mandar um email? (Email é mais impessoal. A gente pode priorizar, responder depois ou eventualmente nem responder, "esquecer".) Mas acabou que eu mandei o número.

Cinco minutos depois o telefone tocava.




Lançamento de livro sobre internet e educação

Nesta quinta, dia 27, a partir das 18:30h, acontecerá o lançamento do livro Tecnologia Educacional e Aprendizagem: o Uso dos Recursos Digitais, na Universidade Mackenzie, em Sampa. Segundo o release, o "livro apresenta diversas formas de se apropriar dos recursos digitais como poderosa ferramenta de ensino e aprendizagem." Quem se interessa pelo assunto, apareça. Devo ir, inclusive para prestigiar a professora Lilian Starobinas, uma das autoras da coletânea, que esteve no lançamento do Conectado. Para ler a informação completa, abra o post.




Colaboração online e histórias paulistanas neste sábado em SP

Quero convidar meus amigos ponto-com para participar do Encontro mensal dos contadores de histórias paulistanas do projeto Viva São Paulo. Será neste sábado, em Pinheiros, às 14h. Saiba mais aqui.

O vivaSP.com começou em novembro de 2003, às vésperas do aniversário de 450 anos da cidade. As melhores histórias, editadas em formato de boletins de um minuto, aparecem diariamente ao longo da programação da Eldorado AM.

É uma ação sui generis porque seu público é de pessoas com 40 anos ou mais - não exatamente o segmento típico de usuários da internet. Os participantes saltaram do online para o presencial, criaram vínculos de amizade e hoje o projeto criou vida própria, funciona sozinho.

Venha, se divirta e de quebra, conheça um pouco sobre o funcionamento deste projeto colaborativo. ;-)




Primeiras impressões sobre The Cult of the Amateur

O conectado André Avorio esteve pessoalmente no lançamento em Londres do The Cult of the Amateur, cujo subtítulo é "Como a internet hoje está matando nossa cultura e assaltando nossa economia". Se eu não me engano, esse foi o livro que o Caio Túlio perguntou recentemente se eu tinha lido e me recomendou ler. Agora ele chegou às minhas mãos - graças ao André, meu companheiro de indigestão informativa.

Estou curioso para ler o resto, mas já posso registrar algumas impressões após a leitura da introdução: o autor não faz questão de ponderar, de observar com serenidade problemas e vantagens da internet. Com isso, seu livro se parece mais com um panfleto provocativo do que com uma tentativa honesta de entender o que está acontecendo - como é o caso do A Riqueza das Redes, por exemplo.




Syndicate content