Traduza um parágrafo em nome do Mosquito, o blogueiro morto esta semana

Esta semana, no dia 13, o blogueiro Amilton Alexandre, o Mosquito, foi encontrado morto, enforcado, em sua casa - leia mais aqui e aqui. A notícia circulou intensamente na rede na quarta, mas não foi pinçada pelos veículos de comunicação tradicionais e já perdeu força.

Muita gente gosta de promover a importância política da internet ter aberto a oportunidade para o pequeno se expressar. Eu não conhecia o Mosquito até receber a notícia de sua morte, mas, pelo pouco que eu li, ele encarnava essa característica.

Se repetimos e repetimos que os meios digitais balancearam a relação entre indivíduos, pequenos grupos e os barões da mídia, Mosquito demonstrava como fazer. Veja, por exemplo, o vídeo acima.

Mas aparentemente existem outros limites separando a pessoa da capacidade de falar publicamente: a disposição para fazer isso é uma delas. A outra é que o país proteja o cidadão que quiser fazê-lo.

No caso do Mosquito, existem indícios de que ele tenha sido assassinado. Quem conhece seu trabalho, sabe como ele incomodava. E quem o conhecida, diz que ele não tinha perfil suicida. (Este, no entanto, indica que isso pode ter acontecido.)

Calar e aceitar que um possível assassinato seja cometido impunemente significa reconhecer que a liberdade de expressão na internet só funciona em alguns casos, o que significa dizer que ela não existe.

Não dá para fazer isso sozinho, mas conversei com um grupo de amigos e estamos propondos duas ações: a tradução para o inglês de uma "recortagem" sobre a morte do Mosquito e o envio desse texto para ativistas e jornalistas fora do país.

A tradução está sendo feita de forma colaborativa, parágrafo a parágrafo. Você só precisa acessar o documento no Google Docs, pedir para ter acesso e escolher e traduzir um parágrafo. São menos de 20.

A outra coisa é sugerir nomes na área de comentários abaixo ou mesmo enviar o texto traduzido para pessoas fora do país que possam usá-lo ou dar visibilidade a ele.

Além disso, aqui vai uma ideia despretenciosa mas que poderia ser uma boa homenagem ao Mosquito: a criação de um prêmio com o nome dele para dar a categorias diversas de blogueiros e comunicadores que se destaquem na defesa da liberdade de expressão e popularização da mídia independente.

Fica a proposta.

P.S. Mosquito saiu de cena criticando a reforma do código florestal.