Warning: Table './db186965_naozero/watchdog' is marked as crashed and should be repaired query: INSERT INTO watchdog (uid, type, message, variables, severity, link, location, referer, hostname, timestamp) VALUES (0, 'php', '%message in %file on line %line.', 'a:4:{s:6:\"%error\";s:7:\"warning\";s:8:\"%message\";s:40:\"Creating default object from empty value\";s:5:\"%file\";s:93:\"/nfs/c06/h05/mnt/186965/domains/naozero.com.br/git/public/modules/taxonomy/taxonomy.pages.inc\";s:5:\"%line\";i:33;}', 3, '', 'http://naozero.com.br/taxonomy/term/298', '', '54.158.86.243', 1490371504) in /nfs/c06/h05/mnt/186965/domains/naozero.com.br/git/public/includes/database.mysql.inc on line 135
danah boyd | Não Zero

danah boyd

warning: Creating default object from empty value in /nfs/c06/h05/mnt/186965/domains/naozero.com.br/git/public/modules/taxonomy/taxonomy.pages.inc on line 33.

Entrevista boyd: Uma acadêmica 'doidinha' catalisa a atenção na blogosfera

danah boyd faz parte do mesmo "panteão" de deuses (ou profetas) do novo mundo da comunicação em rede.

são aproximadamente vinte pessoas que ocupam hoje essa posição, entre elas, kevin kelly, chris anderson, clay shirly, talvez steven johnson estão entre os que nos traduzem, interpretam e divulgam as novidades.

o curioso dessa última parte da entrevista com danah boyd é ela considerar que sua atividade como blogueira foi mais importante que a pesquisa em si para torná-la uma celebridade no mundo das mídias sociais.

não é que a pesquisa dela não seja interessante ou relevante. a pesquisa dá utilidade específica a ela como palestrante, como acadêmica requisitada para dar entrevistas.

mas ela fala de como ela usa o instrumental de conceitos principalmente vindos da academia para discutir temas de interesse popular como política e comportamento, basicamente ela comenta o mundo, as coisas que chamam sua atenção. isso e o blog foram seu holofote.

ela também avalia desvantagens e benefícios dessa super-exposição.

how danah boyd became a 'scholar celebrity' and how that affects her life from juliano spyer on Vimeo.




Entrevista boyd: Trajetória pessoal e profissional da 'sacerdotiza das redes sociais'

Sempre disse que o que torna especialmente relevante a pesquisa de danah boyd sobre redes sociais é o fato dela ser íntima desses ambientes.

mas eu simplificava isso dizendo que de alguma forma ela pesquisava a si mesma, que era uma tentativa dela se explicar e se entender.

nesta parte da entrevista ela junta os pontos, da adolescente que fugia pela internet de sua casa e de sua escola, passando pela universitária que estudou ciência da computação, para a pesquisa sobre padrões em ambientes sociais, até desembarcar na sociologia e na antropologia.

em resumo, era isso mesmo, mas é muito mais.

how danah boyd became an anthropologist studying teens using social network sites from juliano spyer on Vimeo.




Entrevista boyd: Por que ela acompanha a maneira como os brasileiros usam a internet?

danah boyd acompanha a experiência dos brasileiros na internet desde que houve um fluxo fora do padrão de brazucas para o site Fotolog. depois veio a invasão do Orkut.

ao mesmo tempo, em termos de desenvolvimento, estamos fundamentalmente subordinados a projetos internacionais.

Neste parte da entrevista, danah boyd explica o que ela vê de especial e diferenciado na nossa presença online.

What is special about the Brazilian internet experience? from juliano spyer on Vimeo.




fui ao digital age para conhecer danah boyd - ponto

várias semanas antes dela chegar, eu a convidei para tomarmos um café aqui. mas acabou sendo um drink no bar do hotel.

foi uma conversa-conversa, sem metas, sem formalidade, sem pauta, sem interrupções.

crise mundial, véspera de eleições, Sarah Pollin. ela se incendiava falando de política, da angústia de ver o país escravo do consumismo.

eu contei sobre como eu encaro a internet como uma espécie de missão.

sessão de fotoscomo acontece pelo blog, ela fala das coisas mais ultra-pessoais como se não fosse ela a pessoa que viveu aquilo. comentando sobre a fama e os ataques que recebe por isso, disse: "se a minha couraça não fosse grossa..."

mas travou na hora de posar para uma sessão de fotos. acho que ela nunca tinha feito isso. pelo menos não publicamente.

registrei sua expressão de desconforto no intervalo em que a fotógrafa trocava as lentes.

o papo acabou também naturalmente. e antes, pedi para gravar uma entrevista, que finalmente conseguir editar e vou disponibilizar pouco a pouco nos próximos dias.

ps. não somos amigos, nunca trocamos mais que umas poucas linhas por email. ela foi atenciosa e eu fiquei agradecido por isso.




Para quem ainda não ouviu falar de danah boyd

Encontrei a danah boyd pelo blog coletivo Many2Many que, além dela, traz outros intérpretes - mais ou menos acadêmicos - das transformações produzidas pelas mídias sociais.

danah é a única dos quatro que continuei acompanhando, mesmo de longe. vez ou outra leio um post, um artigo ou acompanho uma palestra disponível online - tudo isso aqui.

Não consigo segui-la de perto, porque falta tempo - ela produz muita coisa -, e porque cada coisa que eu leio ou assisto me mobiliza, me inquieta, pelo conteúdo em si e por me lembrar de como estudar é bom.

Mas quem teve o primeiro contato com danah no Digital Age 2.0 percebeu - quando ela entrou para palestrar com um vestido "da namorada do Luke Skywalker", segundo um dos presentes - que ela é mais que uma acadêmica brilhante.

Quem é danah boyd?

Um dos organizadores do Digital Age confessou que não sabia que existia tanto interesse por ela aqui, apesar do nome dela ter sido indicado por um dos gurus da sociedade da informação, o próprio Chris Anderson, atual editor chefe da Wired e autor do best-seller A Cauda Longa.

É que ela ainda não tem UMA grande contribuição no campo das mídias sociais, ainda não publicou livros e nunca, que eu saiba, fundou start-ups de sucesso. Sua produção é composta por centenas (talvez milhares) de fragmentos, entre posts, entrevistas, artigos, palestras, fundamentalmente analisando o fenômeno das redes sociais.

Uma antropóloga futurista

O que danah faz, em certo sentido, é o mesmo que antropólogos vem fazendo corriqueiramente nos últimos cem anos: interpretar culturas. Mas enquanto a maioria deles estuda dialetos dos chamados indígenas, ela domina o dialeto das máquinas - é formada em ciências da computação - e estuda a tribo dos adolescentes que nasceram praticamente dentro das redes sociais.

Em outra ocasião, eu já resumi os pontos que talvez sejam os fundamentais da pesquisa dela sobre redes sociais. E porque ela se preocupa em se comunicar com quem está fora da academia, seus artigos e palestras são a melhor maneira de conhecer o trabalho dela - aqui uma palestra recente.

Talvez a tecnologia tenha transformado a sociedade tão rapidamente, em termos de valores e comportamento, muito em decorrência da internet, que exista um campo de silêncio entre os adolescentes de hoje e os pais deles. danah é uma das pessoas que mais obstinadamente trabalham para estabelecer conexões entre esses mundos.

Falando de dentro

Mas eu ainda não contei a parte mais importante para se entender a força do trabalho de pesquisa e das análises que ela produz. É que a internet, para ela, é mais do que o assunto da vez.

Nas palestras que eu assisti ela sempre começa falando de si, de como a internet serviu de túnel de fuga do mundo presencial para procurar pares e também para reinventar sua personalidade interagindo com outras pessoas pela Rede.

Ter ido para a academia foi uma das maneiras que ela encontrou para dar continuidade a esse experimento de auto-observação e de observação do mundo.




Syndicate content